Deixaste de ver se haviam monstros de baixo da tua cama porque eles agora vivem dentro de ti.
DECREPITAR

Quando os adultos dizem: “Os adolescentes se acham invencíveis”, com aquele sorriso malicioso e idiota estampado na cara, eles não sabem quanto estão certos. Não devemos perder a esperança, pois jamais seremos irremediavelmente feridos. Pensamos que somos invencíveis porque realmente somos. Não nascemos, nem morremos. Como toda energia, nós simplesmente mudamos de forma, de tamanho e de manifestação. Os adultos se esquecem disso quando envelhecem. Ficam com medo de perder e de fracassar. Mas essa parte que é maior do que a soma das partes não tem começo e não tem fim, e, portanto, não pode falhar.

Quem é você, Alasca? (via terminar)

Eu me lembro de você, me lembro dos nossos bons momentos, tenho saudades.

Ana  (via coordenando)

O mundo está cheio de pessoas vazias, falsas e mentirosas, pessoas que não se importam com ninguém, que te magoam sem pensar duas vezes, pessoas que simplesmente não sabem lidar com as outras, pessoas sem sentimentos, pessoas artistas e mascaradas, insensíveis e sem coração, pessoas que não sabem ser pessoas.

Warley G.   (via coordenando)

Um dia, perguntei para o psiquiatra: sou bipolar? Ele me disse: de bipolar você não tem nada. Você é sincera e tem sentimentos intensos. E me explicou a origem da palavra sincera, que vem do latim e significa “sem cera”. Antigamente, carpinteiros e escultores usavam cera para disfarçar os defeitinhos de esculturas e móveis de madeira. Então, eles lixavam, passavam verniz e tudo ficava aparentemente perfeito e em ordem. O aspecto das peças era magnífico. Com o passar do tempo, do frio, calor e uso, a cera ia se desmanchando e os defeitos iam ganhando vida. Sinceridade é “sem cera”, ou seja, sem máscaras, sem retoques, sem querer ser o que não é. Achei bonita a explicação dele. E triste. Dói ser “sem cera”.

Clarissa Corrêa.  (via a-menina-e-o-violao)